Facebook
Facebook Twitter Twitter

Receba Novidades

Cadastre-se e receba as novidades e as informações desenvolvidas por nossos especialistas na área de gestão e ERP

Estratégia para Implantação da Política

de Qualidade e atender a RDC 16/2013

POR VIMAN SISTEMAS | Publicado em 26 de junho de 2020

A palavra estratégia tem sua origem na palavra grega STRATEGIA, que significa general (STRATEGOS) ou alguém com um exército (STRATOS) para liderar. Ela foi usada primeiramente em Atenas (508 a.C.) para descrever a arte da liderança, empregada pelos grandes generais do conselho de guerra, que desenvolveram princípios de liderança eficientes e realização de objetivos.

Conceitos semelhantes sobre estratégia surgiram na Ásia (200 a.C.), famosos no livro A Arte da Guerra, em que Sun Tzu lista os diferentes princípios que os líderes podem seguir para vencer e alcançar objetivos. A estratégia corporativa, por sua vez, começou a despertar a atenção na década de 1950, logo após a Segunda Guerra Mundial, quando surgiram livros sobre estratégia para líderes de negócios.

- RDC e a Política da Qualidade

- Por que Planejar?

- Gestão Estratégica da RDC

- Ferramentas Estratégicas

- Matriz SWOT

- Modelo 7S da Mckinsey

- MCiclo PDCA

- Mantendo a Rota: Meta SMART

RDC e a Política da Qualidade

Resolução

O QUE DIZ A RESOLUÇÃO

2.1. Disposições Gerais

2.1.1. Cada fabricante deverá estabelecer e manter um sistema de qualidade para assegurar que os requisitos deste Regulamento Técnico sejam atingidos e que os produtos fabricados sejam seguros, eficazes e adequados ao uso pretendido. Como parte de suas atividades no sistema de qualidade, cada fabricante deverá:

2.1.1.1. Estabelecer e manter instruções e procedimentos eficazes do sistema de qualidade de acordo com as exigências deste Regulamento Técnico; e

2.1.1.2. Estabelecer procedimentos para atendimento aos dispositivos legais previstos na legislação sanitária vigente.

A política da qualidade da empresa representa o conjunto de intenções que a gerência executiva tem em relação à qualidade, à melhoria contínua e ao seu compromisso no cumprimento da legislação sanitária.

Iniciando o planejamento:

Veja abaixo os principais desafios da gestão de documentos:

• A gerência executiva deverá manter a política em todos os níveis da organização e divulgá-la em toda a empresa.

• As formas mais tradicionais para fazer esta comunicação são: quadros de avisos, murais sociais, planos de fundo de computadores, camisetas, verso dos crachás funcionais, dentre outras. A empresa não necessita utilizar todas essas formas, basta selecionar as mais adequadas à sua realidade.

• A gerência executiva deverá assegurar que esta política esteja descrita em um manual da qualidade e que seja compreendida por todos os empregados que possam afetar ou influenciar a qualidade dos produtos.

• É importante que seja realizado um treinamento sobre a política da qualidade para todos os funcionários e que este treinamento tenha sua eficácia avaliada.

• O treinamento pode ser oferecido na integração funcional e a eficácia pode ser avaliada através de entrevista, prova escrita ou outro método apropriado definido pela empresa.

Uma estratégia bem definida vai te ajudar na implantação de uma política de qualidade e que atenda aos requisitos da RDC 16/2013, além de contribuir para a obtenção dos objetivos e resultados estabelecidos. Continue lendo!

Estratégia

Por que Planejar?

Um bom planejamento pode ser feito utilizando passos literalmente simples e por empresas de qualquer tamanho. A estruturação desses passos irá lhe ajudar a estabelecer a direção de um caminho no futuro para obtenção dos resultados e objetivos, através de ações no presente.

Ponto AB

Você desenha o futuro, estuda sua situação atual e define as ações que irão fazer com

que você vá do ponto A (hoje) para o ponto B (futuro) com o menor esforço possível.

Para atingir o seu objetivo é importante, primeiro, definir o que se quer alcançar. Sem esse direcionamento não se vai a lugar algum. Posteriormente, é reunir a sua equipe e... planejar!

Análise

Gestão Estratégica da RDC

O segundo capítulo da RDC 16/2013 representa a necessidade das empresas terem um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ), composto por instruções e procedimentos que devem ser estabelecidos e mantidos de forma eficaz. É aqui, efetivamente, que surge a necessidade da implementação do Sistema de Gestão da Qualidade.

“De forma eficaz” entende-se pelos procedimentos e instruções que atendam às necessidades e aos requisitos, na qual cada empresa desenvolverá seus próprios métodos, desde que não fuja do bom senso.

As perguntas abaixo irão lhe ajudar na implantação de uma Política de Qualidade em sua empresa e que atenda à regulamentação das normas RDC 16/2013 da ANVISA:

1 Existe uma política de qualidade na empresa?
2 A política da qualidade está descrita no manual da qualidade?
3 Os objetivos estabelecidos pela empresa são mensuráveis?
4 Os objetivos estabelecidos pela empresa são coerentes com a política da qualidade?
5 Os colaboradores foram informados sobre a política da qualidade? Como?
6 Os treinamentos oferecidos tiveram sua eficácia avaliada?
7 A empresa estabeleceu seus objetivos de comprometimento com a qualidade?
8 Foi oferecido treinamento na política da qualidade para os colaboradores?

Ao responder a essas perguntas, você:

• Define uma direção a seguir e consegue estabelecer prioridades.

• Sabe onde quer chegar e quais as atividades-chave para alcançar esse resultado.

• Direciona todas as ações e esforços para o mesmo objetivo.

• Torna o processo de tomada de decisões muito mais fácil.

• Elimina a perda de tempo com atividades que irão atrapalhar a obtenção dos objetivos traçados.

• Evita o desperdício de dinheiro.

Ferramentas Estratégicas

Como já vimos, a estratégia é o caminho que pode moldar o futuro. Significa criar atalhos e dar movimento a uma sequência de eventos capazes de atingir objetivos e resultados. Mas, diante das complexidades que enfrentamos, não há garantias de que no futuro tudo vai acontecer da maneira como se pretende, mas é importante reagir e responder rapidamente a eventos que estejam fora da rota. Por isso é tão importante planejar estrategicamente.

Listamos algumas ferramentas que são muito utilizadas quando o assunto é planejamento estratégico e podem ser aplicadas a qualquer tipo de negócio e atividade.

Matriz SWOT

“Concentre-se nos pontos fortes, reconheça as fraquezas, agarre as oportunidades e proteja-se contra as ameaças.”

Esta frase, dita há mais de 3 mil anos por Sun Tzu, explica de uma forma bem simples o que é a Análise SWOT. Ferramenta mais popular do mundo dos negócios, este acrônimo de Strenght (força), Weakness (fraqueza), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças) é uma maneira bem eficiente de começar a explorar o quadro global e decidir o que fazer em seguida.

Como usar?

Desenhe uma grade e liste nela as oportunidades e ameaças que tem diante de si e os pontos fortes e fracos de sua organização. Anote as ideias de todo mundo. Não há a necessidade de fazer algo extenso ou que possa ser comprovado.

SWOT

Modelo 7S da Mckinsey

Combine as várias partes da organização de maneira produtiva. Esse modelo foi projetado para considerar as conexões entre cada uma dessas partes.

Como usar?

Essa combinação de partes apoia a estratégia graças a uma gestão eficiente e criativa. Através desse modelo é possível descobrir como fazer as partes trabalharem juntas de forma coerente. Como cada parte pode ser alinhada às outras? Que habilidades, sistemas, estilo, pessoas e estrutura são necessárias para a estratégia? Quais são as metas gerais alcançadas?

O significado dos 7S está descrito a seguir:

STRATEGY [ ESTRATÉGIA ]: o plano para construir a estratégia.

STRUCTURE [ ESTRUTURA ]: a forma em que a Organização está estruturada.

SYSTEMS [ SISTEMAS ]: os sistemas de suporte à gestão.

SHARED VALUES [ VALORES COMPARTILHADOS ]: a forma de liderança adotada na Organização.

STYLE [ ESTILO ]: a quantidade e perfil dos colaboradores.

STAFF [ PESSOAS ]: as habilidades e competências dos colaboradores.

SKILLS [ HABILIDADES ]: são os valores centrais da empresa, os quais definem o comportamento empresarial.

Mckinsey

Ciclo PDCA

Planejar, executar, checar e aprimorar processos de maneira contínua e consistente são algumas das principais ações sob a responsabilidade direta de gestores. O PDCA é uma das ferramentas mais consagradas do mundo para a resolução de problemas e muito utilizado no controle de processos, principalmente os voltados aos Sistemas de Gestão da Qualidade.

O principal foco dessa ferramenta de gestão é fazer com que o desenvolvimento de projetos e produtos seja contínuo e organizado. Para isso, são estabelecidas 4 etapas, cujas iniciais dão origem à sigla: Plan, Do, Check e Act. Traduzindo: planejar, executar, verificar e agir de maneira corretiva. Esses passos se sucedem e são repetidos de forma cíclica.

PDCA

Como usar?

P [ PLAN ] PLANEJAR: planejar o trabalho a ser realizado por meio de um plano de ação após a identificação, reconhecimento das características e descoberta das causas principais do problema (projeto da garantia da qualidade).

D [ DO ] EXECUTAR: realizar o trabalho planejado de acordo com o plano de ação (execução da garantia da qualidade, cumprimento dos padrões).

C [ CHECK ] CHECAR: medir ou avaliar o que foi feito, identificando a diferença entre o realizado e o que foi planejado no plano de ação (verificação do cumprimento dos padrões da qualidade).

A [ ACT ] AGIR: atuar corretivamente sobre a diferença identificada (ações corretivas sobre os processos de planejamento, execução e auditoria; eliminação definitiva das causas, revisão das atividades e planejamento). Se nada for detectado, haverá a padronização e a conclusão do plano.

Mantendo a Rota: Meta SMART

Planejar é, sem dúvida, um fator vital. Controlar o andamento das ações é fundamental para garantir que os objetivos traçados sejam obtidos. Por isso é imprescindível estabelecer metas e indicadores que traduzam o que você quer. O conceito de meta SMART (esperto) é a abreviação de 5 critérios necessários de uma meta, ou seja, são estimativas reais.

O principal foco dessa ferramenta de gestão é fazer com que o desenvolvimento de projetos e produtos seja contínuo e organizado. Para isso, são estabelecidas 4 etapas, cujas iniciais dão origem à sigla: Plan, Do, Check e Act. Traduzindo: planejar, executar, verificar e agir de maneira corretiva. Esses passos se sucedem e são repetidos de forma cíclica.

SMART

S [ Specific ] Específicos: significa que você pensou nos detalhes essenciais para que o resultado seja realmente alcançado.

M [ Mensurable ] Mensurável: analise se a sua meta pode ser mensurada em termos financeiros, de tempo ou de resultados.

A [ achievable ] Alcançável: de nada adianta você construir um planejamento fantástico para uma meta que não apresenta condições realistas de ser colocada em prática.

R [ Relevant ] Relevante: pense bem antes de investir tempo e dinheiro em uma meta que não faz tanto sentido para atingir o seu objetivo principal.

T [ Time BASed ] Temporal: defina datas para qualquer meta SMART que você decidir realmente colocar em prática. Se você escolhe prazos curtos demais, corre o risco de desistir por perceber que não conseguirá entregar o que se propôs na data que definiu. Não obedecer uma data limite pode colocar todo o seu planejamento estratégico a perder.

Insira seu nome e e-mail para baixar esse conteúdo gratuitamente

EBOOK Gratuito